Fluorose em dentes decíduos: um alerta para dentes permanentes


Elisabete Frederick Souza * José Carlos P. Imperato **

Apesar de dita como “rara”, a fluorose na dentição decídua serve como um indicativo de fluorose na dentição permanente. Apesar das dificuldades é importante reconhecer a fluorose em dentes decíduos como um avanço para a prevenção da fluorose na dentição permanente.

Introdução:

O flúor, quando utilizado em níveis ideais, tem efeitos altamente positivos na prevenção da cárie dentária (Fejerskov O/1996). Entretanto, quando ingerido cronicamente e em doses excessivas, provoca distúrbios na formação do esmalte dentário. As alterações se manifestam clinicamente sob a forma de manchas brancas e marrons, podendo apresentar áreas hipoplásicas e de erosão. Este quadro tem sido chamado de fluorose dentária.(Burt/1992).

A fluorose dental nos dentes permanentes tem aumentado nas última décadas em alguns países, já a fluorose nos dentes decíduos tem sido descrita como “rara” ou “menos severa” do que na dentição permanente.

Além disso, devido à dentição decídua ser temporária, a fluorose neste caso, tem sido considerada como de pequena conseqüência. Porém, estudos recentes sugerem que a fluorose em dentição primária pode ser algum prognóstico de uma fluorose na dentição permanente.

Fluorose em dentes decíduos

A ocorrência da fluorose (então conhecida como esmalte mosqueado) no dente decíduo foi descrita pela primeira vez em 1935 entre crianças no Arizona (Smith/1935).

A fluorose em dentes decíduos é menos severa que a observada nos dentes permanentes. (Thyistrup,Forsman/1978,74)

Sua incidência tem sido relatada ser menor em áreas com ótimo ou subótimo níveis de fluoretos (Burt/1992). Porém, em áreas em que ocorrem naturalmente um alto nível de fluoretos na água, como em muitas áreas da África, a fluorose nos dentes decíduos não é somente comum, mas também freqüentemente severa. (Thyistrup,Forsman/1978,74)

Por isso é importante o clínico saber a concentração de flúor na sua cidade de atuação, visto que sua prescrição poderá ser trágica Uma das dificuldades na identificação da fluorose em dentes decíduos na sua forma mais amena é uma iluminação inadequada.(Thyistrup/1978)

Aparência da fluorose em dente decíduo A fluorose dentária na dentição decídua parece semelhante à fluorose dentária na dentição permanente, exceto que a fluorose em dente decíduo normalmente aparece um pouco menos rendilhada (suave ou macia) e com uma aparência ligeiramente mais contínua ou sólida. As áreas de esmalte decíduo fluoretado não caracteristicamente seguem as linhas pericimáticas (sulcos transversais da superfície do esmalte dentário), em parte porque estas linhas estão freqüentemente ausentes ou menos aparentes nos dentes decíduos, e particularmente porque essas áreas são formadas antes do nascimento (Yeager/1980).

Além disso, alguma fluorose em dente decíduo tem uma aparência de um mármore ou de um redemoinho, com áreas distintas de esmalte afetados e inalterado. A fluorose em dente decíduo geralmente não parece ser opaca como a fluorose em dente permanente, provavelmente porque o esmalte nos dentes decíduos é mais fino e mais branco que o esmalte nos dentes permanentes. Assim, a distinção entre as áreas afetadas e as não afetadas pode ser menos aparente nos dentes decíduos que nos dentes permanentes (Fejerskov/1988). Acima de tudo, a aparência da fluorose em dente decíduo é mais variável do que a fluorose em dente permanente.

Localização da fluorose em dente decíduo

A localização da fluoretação no esmalte decíduo na superfície dental pode ser diferente em relação à fluoretação do esmalte permanente. Por exemplo, a fluorose em dente decíduo muitas vezes é notada na porção cervical da superfície vestibular dos molares decíduos. Além disso, há uma menor tendência para aparecimento de simetrias entre os dentes direito e esquerdo. A fluorose na superfície oclusal dos molares decíduos tende a seguir as cristas marginais e em menor grau as cristas transversais, mas o denominado padrão campo de neve, freqüentemente visto em superfícies oclusais de pré-molares e molares permanentes, parece ser menos pronunciado, talvez por causa do desgaste das pontas de cúspides decíduas.

A fluorose dental na região cervical das superfícies vestibular e lingual do molar decíduo pode se assemelhar, às vezes, à mancha branca de lesões de cáries ativas ou inativas. A fluorose do dente decíduo geralmente pode ser distinguida da desmineralização por cáries por sua localização em relação à margem do tecido mole.

As lesões de manchas brancas tendem a aparecer como faixas finas e seguem de perto as margens do tecido mole, e freqüentemente são associadas a áreas de acúmulos de placa, considerando que áreas de fluorose de dente decíduo normalmente não são limitadas a faixas finas e freqüentemente se estendem coronariamente, se afastando das margens de tecido mole.

Finalmente, os primeiros molares decíduos freqüentemente tem uma distinta protuberância ou proeminência na superfície vestibular que aparece ligeiramente mais branca do que o resto do dente e pode imitar uma fluorose. Porém, a fluorose em dente decíduo pode ser distinguida da brancura destas proeminências, pois a fluorose é menos dura e menos consistente na cor e normalmente se estende além da área da proeminência.

Materiais e Métodos:

Foram analisadas 30 crianças entre 6 e 8 anos de ambos os sexos na disciplina de Odontopediatria da Universidade Camilo Castelo Branco. Nesta avaliação foram observados apenas a dentição decídua. Todos os exames foram feitos pelo mesmo pesquisador utilizando apenas espelho e luz refletora.

Resultados:

De todas as crianças analisadas não foi encontrado fluorose na dentição decídua. Todas as crianças tinham acesso à águas de abastecimento com flúor em quantidades ditas suficientes e seguras para a cidade de São Paulo.

Conclusão:

Visto que a fluorose em dentes decíduos pode ser um indicativo de fluorose em dentes permanentes e que a principal causa seria a ingestão de fluoretos excessivos, é importante o controle da quantidade ideal de flúor usado como prevenção.

Apesar de não termos encontrado nesta amostra à presença de fluorose na dentição decídua, devemos salientar a importância da prevenção individual. O clínico que dominar as características deste tipo de fluorose, poderá prevenir que esta venha atingir a dentição permanente que pode levar a danos severos a estética da criança comprometendo seu relacionamento com outras crianças.

Referências Bibliográficas:

Burt BA, Edlund AS, Dentistry, dental practice and the comunity, 4th ed, Philadelphia: Saunders; 1992; 147.

Dean Ht, Classification of mottled enamel diagnosis, JADA 1934;21;1421-6.

Fejerskov O, Baelum V, Manji FM, Dental fluorosis: A handbook for health worders, Copenhagen: Munkagnard; 1988;40-2.

ForsmanB. Dental fluorosis and caries in highfluoride districts in Sweden, Community Dent Oral Epidemiol 1974;2(3): 182-48.

Smith MC, Smith Hv, The occurrence of mottled enamel on the temporary teeth, JADA 1935;22:814-7.

Thyistrup A Distribuition of dental fluorosis in the primary dentition. Community Dent Oral Epidemiol 1978;6(6):329-37.

Yeager Já, Enamel. In: Bhaskar SN, ad. Orban’s oral histology and embryology. 9th ed. St. Louis: Mushy; 1980:64.


Voltar ...


Nota: Todas as informações que compõem o conteúdo do site OdontoWeb têm caráter meramente informativo e ilustrativo. Nenhuma informação contida no site OdontoWeb deverá ser utilizada, sob hipótese alguma, para a execução de diagnósticos médicos, e de quaisquer outros procedimentos relacionados à saúde. Para tanto, sempre consulte e visite regularmente seu dentista.