O que há por trás dos dentes perfeitos


Na era da perfeição, nenhum detalhe pode ficar de fora. Se todo o corpo já foi devidamente embelezado, chegou a hora de levar a estética aos dentes. Conquistar o sorriso dos sonhos exige menos esforço do que cultivar músculos ou domar os cabelos e os resultados são compensadores.

Materiais cerâmicos, resinas compostas e novas técnicas de clareamento podem transformar os mais tímidos e inseguros sorrisos em poderosas armas de conquista.

A indicação da melhor tática para ter dentes maravilhosos vai depender de cada caso e também da disponibilidade financeira do paciente. Os materiais cerâmicos são os mais caros e também os mais resistentes.

A porcelana foi o primeiro a ser utilizado e por isso acabou sendo o mais conhecido deles, mas a técnica evoluiu. Hoje, além da porcelana, são utilizados materiais cerâmicos especiais que apresentam, em alguns casos, resistência quatro vezes maior.

Isso permite a utilização do material não só nos dentes anteriores como também nos posteriores, onde o esforço durante a mastigação é muito superior e as restaurações são mais exigidas.

Além da resistência, outra grande vantagem dos materiais cerâmicos é que eles permitem corrigir imperfeições da arcada, como dentes mal posicionados, destruídos ou com alterações de cor.

Assim, o resultado é um sorriso perfeito. Além dos materiais cerâmicos, há ainda os chamados cerômeros, misturas de partículas cerâmicas com outras resinas, que possuem a mesma aplicação, mas são um pouco mais baratos.

Vale mesmo a pena substituir os amálgamas?

Quem quer radicalizar e tornar a arcada absolutamente branca, certamente vai avaliar a possibilidade de tirar da boca os amálgamas, ligas metálicas largamente utilizadas na restauração dos dentes.

Além da questão estética, muita gente se preocupa com o perigo de intoxicação que os amálgamas representam, já que o mercúrio contido neles seria capaz de provocar uma intoxicação perigosa. Mas nem todos os profissionais corroboram este alerta.

De acordo com o professor Eduardo Moreira da Silva, que é mestre em materiais dentários pela USP, não há porque investir nos materiais cerâmicos quando a preocupação é apenas com a saúde. "Não existe na literatura científica nenhum relato de prejuízo ao organismo causado pelo uso de amálgamas nos dentes", afirma o professor, que é também coordenador de Pós-Graduação de Dentística Restauradora da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal Fluminense (UFF).

A história do amálgama, segundo o professor Eduardo, começou a partir de um terrível acidente ecológico ocorrido numa baía em Minamata, no Japão, que era contaminada com mercúrio metálico por uma fábrica que funcionava em suas margens.

Os peixes dessa baía metabolizavam o mercúrio metálico, transformando-o em mercúrio orgânico. Ao consumirem o peixe contaminado, cerca de 20 mil pessoas foram intoxicadas e metade delas acabou morrendo. Mas a causa da intoxicação foi o mercúrio orgânico e não o mercúrio metálico, utilizado nos amálgamas.

Outro fato que reforça o injustificado alarde que se faz em relação aos amálgamas é o fato de alguns países, como a Suécia, terem proibido esse tipo de restauração. No entanto, segundo o professor Eduardo, a proibição se deveu ao fato do país praticar a incineração de seus mortos. Com isso, o perigo de contaminação por mercúrio seria real, pois o metal poderia ser volatilizado e contaminar o ar, as águas e as plantações.

Há alternativas mais em conta, com ótimos resultados

Quem não tem como investir nos materiais cerâmicos, pode melhorar a aparência dos dentes optando por materiais mais baratos, mas que também permitem ótimos resultados. São as novas resinas compostas, feitas de material plástico muito resistente e com uma enorme gama de cores, o que permite que a restauração de um dente fique imperceptível.

Assim como os materiais cerâmicos, as resinas compostas exigem um desgaste nos dentes em que serão aplicadas, para garantir a aderência e o bom resultado do trabalho. Elas são indicadas para recompor dentes fraturados, modificar dentes com alteração de forma ou para substituir antigas restaurações que se desgastaram com o tempo ou que apresentem recidiva cárie.

A técnica de clareamento é outra opção para conquistar um sorriso mais bonito, tendo a vantagem de não necessitar de um desgaste nos dentes. São tratamentos onde se utiliza um gel ou pasta oxidante, que podem clarear tanto os dentes vitalizados, que são os que possuem a polpa, como os dentes desvitalizados, nos quais a polpa e os nervos foram removidos através de um tratamento de canal.

É bom lembrar que o escurecimento de um dente é um fato raro, que acontece, por exemplo, quando este sofre um trauma. Um tratamento de canal, a princípio, não escurece um dente, apenas faz com que a sua cor seja ligeiramente modificada.

Há, portanto, muitas opções de embelezamento do sorriso. Mas seja qual for o método utilizado, o resultado final dependerá do material empregado por cada profissional.

A diferença entre os diversos materiais encontrados no mercado, que em sua maioria são importados de países como a Alemanha e os Estados Unidos, relaciona-se com sua resistência, possibilidades estéticas e qualidade. Como esse dado não está ao alcance do paciente, o melhor mesmo é procurar sempre um profissional qualificado.


Voltar ...


Nota: Todas as informações que compõem o conteúdo do site OdontoWeb têm caráter meramente informativo e ilustrativo. Nenhuma informação contida no site OdontoWeb deverá ser utilizada, sob hipótese alguma, para a execução de diagnósticos médicos, e de quaisquer outros procedimentos relacionados à saúde. Para tanto, sempre consulte e visite regularmente seu dentista.